Hipocrisia sem limites nesse (des)governo de Várzea Paulista

A política deveria ser o meio para facilitar a convivência em sociedade e reunir as condições para melhorar a vida das pessoas como um todo. Aqueles que se propõe a ser esses "facilitadores", prefeito e vereadores, deveriam ter a consciência de que os "outros" esperam isso deles. Ao entrarem na política para cumprir esse propósito, essa tão importante missão, não podem pensar em locupletar nesse meio, em benefícios próprios, pois seguramente estariam cometendo desvios do objetivo para o qual foram eleitos.

Recentemente deparamos com uma notícia com viés hipócrita do prefeito denunciado, Juvenal Rossi, nas redes sociais e nos jornais locais, que recebem dos cofres públicos (nosso dinheiro) para o ajudar na divulgação das suas mentiras, "desmentindo" uma verdade incontestável veiculada nas redes sociais, sobre a penhora de seus bens, no processo em que foi condenado pela justiça por desvio de conduta e malversação das verbas públicas.

Pouco depois, novamente veio à público bradando, através desse mesmo expediente, o tal "superávit" em sua administração, tentando se passar por bom gestor, escondendo o estado de miserabilidade a que submeteu os munícipes com a farsa de eficiência na gestão municipal, sobretudo na Saúde, onde a população ficou à mercê do descaso com a falta de remédio, exames e procedimentos cirúrgicos durante toda a atual gestão até os dias de hoje, e insistindo em manter como co-gestora da UPA/Hospital a OS VITALE, envolvida em corrupção por onde passou e que, inclusive delatou dois "gestores de confiança" (comunicação e saúde), escondendo isso da população de forma vergonhosa e que, diga-se de passagem, ainda está mantendo até hoje mesmo sabendo de tudo. Como se não bastasse, aparece em vídeo depois de várias matérias, certamente pagas com dinheiro público, juntamente com seu gestor "de confiança", delatado e respondendo à vários processos no Ministério Público por improbidade, falando em moralidade administrativa.

A hipocrisia chega a tanto, que perderam completamente a vergonha ao contratar um jornal de Jundiaí que, ainda na primeira gestão, fez matéria de capa inteira com a imagem da pintura de Michelangelo na Capela Sistina, desdenhando do prefeito com aquela montagem memorável e, provavelmente, com o único propósito de, no futuro, tê-lo como "cliente", como parece que se configurou agora. Fica claro o direcionamento das matérias e da entrevista, e com propósito bem definido. Infelizmente os jornais e seus "jornalistas" contribuem para enganar mais uma vez a população que desconhece essa manobra maquiavélica.

Os políticos deveriam ter consciência de seus propósitos para com os seus eleitores. Os meios de comunicação não podem se prestar a esse desserviço. E nós, os cidadãos, não podemos nos calar diante destas arbitrariedades. O prefeito denunciado Juvenal, e alguns de seus "gestores de confiança", hão de pagar pelos seus desmandos. O povo simples, humilde e trabalhador merecem respeito.

Estamos acompanhando o final desta gestão desastrosa, e temos certeza que a justiça não terá piedade desses fanfarrões e o povo lembrará dessa organização que aparenta ser uma "Orcrim". Nesse momento estamos de mãos atadas, mais vigilantes e mostrando aquilo que, embora pareça óbvio, o cidadão não consegue enxergar devido o mascaramento feito por eles. A justiça tarda, mas não falta.


Obs.: A matéria acima é de inteira responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Blog Várzea Paulista