Incoerência na pré-disputa pela prefeitura de Várzea Paulista?

Então... comentam que Jr. Aprillanti está aparecendo como líder das pesquisas pré-eleitoral reservadas para prefeito aqui de Várzea Paulista. Ele já foi secretário municipal no governo do PT, candidato a prefeito em 2012 e 2016, e também Deputado Estadual por S.Paulo com vários projetos que incluiu  verbas Várzea Paulista. Também comentam nos bastidores que ele articula em várias frentes para formação de alianças como pré-candidato a prefeito e para escolha posterior do vice na chapa. Por enquanto, toda essa movimentação do pré-candidato ainda está na fase das especulações. Entretanto, parece que há certa incoerência em outra faixa da disputa eleitoral para prefeito... o governo municipal, com seus com vários escândalos, denuncias e investigações de corrupção, também prepara o terreno para lançar seu pré-candidato "oficial" que, segundo os mesmos comentários, estaria com menos da metade das intenções de votos do líder. Ora, segundo uns e outros, quem o governo municipal intenta emplacar e apoiar como candidato do governo é para ser o atual vice-prefeito, que a cidade entende estar envolvido em vários escândalos na gestão da Educação municipal, inclusive condenado em alguns processos judiciais junto com o prefeito, entre os quais os do DVDs infantis, livros didáticos, maquina reciclagem de papel, etc.. Bom, depois de todos os escândalos, vários Inquéritos Civil no MP com investigações do Gaeco e Polícia Federal, incluindo bens do prefeito bloqueados pela justiça, estão dizendo na opinião pública que o que o governo municipal parece ser capaz de oferecer é apenas a continuidade do "Modus Operandi" da equipe executiva da atual administração municipal. Costuma-se dizer que o brasileiro não sabe votar, mas talvez seja porque o eleitor só pode escolher quem os partidos oferece nos "acordos" e "interesses" políticos. Pelo sim pelo não, fora isso, os demais prováveis concorrentes que se autodeclaram pré-candidatos a prefeito são apenas figurantes na disputa para prefeito? Oremos! Muito... é necessário!