Justiça determina que a câmara municipal leia em sessão pública o pedido de cassação do prefeito de Várzea Paulista

Então... o mandado de segurança, requerido pelo ex-conselheiro do COMUS, Conselho Municipal de Saúde, José Maria dos Anjos, finalmente foi entregue e recebido pela câmara municipal de Várzea Paulista na segunda feira, 06/05. O mandado prevê que seja instalada uma C.E.I., Comissão Especial de Inquérito, para investigar a gestão da Saúde, já estava intencionada mas ainda não iniciada pelo legislativo, e também pede a cassação do atual prefeito de Várzea Paulista. E porque o mandado? Porque o presidente anterior do legislativo arquivou o pedido inicial em dezembro 2018 sem que a leitura fosse feita em sessão pública. Com isso o ex-conselheiro requereu e conseguiu na Justiça o mandado de segurança, que obriga judicialmente a presidência da câmara colocar na pauta da sessão pública para apreciação dos vereadores, provavelmente dia 14/05 ou em data posterior. Só o fato do pedido de cassação de entrar na pauta do legislativo, já coloca a imagem do prefeito ainda mais mal vista na cidade, que não anda nada boa, segundo uns e outros. E ainda tem a questão da câmara abrir C.E.I. para investigar o prefeito, a gestão de Saúde e os gestores de comunicação e da Saúde envolvidos no escândalo da O.S. Vitale por recebimento de propina. A expectativa é que esses gestores sejam presos pelo Gaeco a qualquer momento, o que faria o governo municipal ser manchado por corrupção de forma indiscutível, dando razão aos inúmeros e insistentes boatos que correm nos bastidores e opinião pública desde o início do mandato municipal em 2013. Por mais que o governo municipal venha a público para tentar convencer a população sobre suas "conquistas" e "superávit", sem explicar nada dos escândalos do Bolsa Família, Cemitério e outros mantidos em "segredo", não muda o que a população pensa e já sabe. Ora, comentam na cidade toda que as apostas pela cassação do prefeito estão em alta, e  que são os comissionados que defendem por estarem empregados no governo municipal, segundo uns e outros. Há também comentários de que os vereadores tem acordo negociado com o prefeito pela não cassação e não instalação da C.E.I., mesmo que gestores sejam presos na Operação Ouro Verde (leia-se delação O.S. Vitale)... Pelo sim pelo não, o "deus no comando" parece que não está conseguindo "proteger" o governo municipal...  Oremos?