Mais um escândalo em Várzea Paulista

Como todo "político" ganancioso impulsivo, implicado em delações premiadas, enquanto espera a Justiça alcançá-lo e prendê-lo a qualquer momento, o denunciado pode fazer como o ex-governador Sérgio Cabral, preso na Lava Jato, em sua mais recente audiência na Justiça, ou seja: ele confirmou as delações contra ele, admitindo a maior parte de seus crimes e deixando seus "mui amigos" delatores desesperados e à beira do precipício se resolver fazer delação premiada. Ora, e se algum agente público aqui de Várzea Paulista, implicado no "imbróglio" da O.S. Vitale, também resolver admitir, por questão de "consciência", que recebeu propina para também se sentir aliviado como o ex-governador? Parece que sobram provas de corrupção e até tem áudio que, segundo uns e outros, foi feito por um vereador. Claro, o áudio foi publicado nos comentários da postagem no Facebook sobre a "suposta" propina dos agentes públicos. Inclusive tem até matéria publicada no site do G1 sobre a agressão doméstica de vereador pelo filho, que é secretário no governo municipal, e cuja foto foi amplamente divulgada em vários grupos de whatsapp, e que está sendo comentado como consequência do "suposto" pagamento de propina pela O.S. Vitale aos agentes do governo. A TV Tem também fez reportagem, e o vídeo foi publicado no Facebook e Youtube. O motivo da agressão seria a divulgação de imagens do celular do vereador pela esposa, via whatsapp, para várias pessoas, denunciando o envolvimento de vereadores, gestores municipais e prefeito no "suposto" caso de propina com a O. S. Vitale. Segundo a matéria, o assunto teria gerado uma discussão entre o vereador e a esposa, na qual ela teria sido agredida e gerando lesões na cabeça, braço e joelho. Ora, a O.S. Vitale é co-gestora da UPA e Hospital Municipal, e recentemente teve o contrato renovado apesar do escândalo da Operação Ouro Verde, que delatou os gestores de comunicação e Saúde por "supostamente" receberem propina.  Pelo sim pelo não, parece que está sendo confirmado que o "deus no comando" já chegou e está assumindo o "controle" da "situação", onde uma pergunta já está circulando nos bastidores e opinião pública: e agora "bonitão", quem vai ter que mudar de cidade? Oremos?