Mais um pedido de impugnação de candidatura na Justiça Eleitoral de Várzea Paulista

06/10/2020

Como mencionamos no Opinião de ontem, 05/10, a candidatura do ex-gestor de comunicação, João Paulo de Souza, que substituiu o ex-gestor David Alexandre da Silva (exonerado a pedido), que está sob investigação pelo Gaeco no maior escândalo de Várzea Paulista por suposto recebimento de propina da ex-gestora de Saúde O.S. Vitale, já tem um pedido de impugnação no TRE/SP contra sua candidatura a vereador pelo PSDB. Como pode ser conferido no pedido de impugnação, vide no link abaixo, até 01/04/2020 ele exercia a função de "GESTOR MUNICIPAL (agente político), deixando de cumprir as exigências da Justiça Eleitoral por não se desincompatibilizar 6 meses antes das eleições 2020.

Consta no pedido de impugnação de João Paulo de Souza que, supostamente para ludibriar a legislação eleitoral, na mesma data em que se exonerou do cargo anterior foi nomeado e tomou posse como Gestor Executivo na mesma pasta onde estava lotado. Ora, pelo mesmo motivo, conforme comentários dos bastidores, os ex-gestores Marco Bueno e Renato Germano, não puderam ser candidato a vice. Portanto, nesse caso e nessa idêntica circunstancia, o ex-gestor de comunicação, que também está sujeito à mesma legislação eleitoral, não poderia concorrer à estas eleições 2020. E mais... parece haver nos bastidores uma espécie de consenso de que a Justiça Eleitoral deverá ser rigorosa e, talvez, todos os 3 candidatos mencionados ontem e hoje com pedido de impugnação, tenham o registro indeferido e não poderão concorrer às eleições.

O caso do vice-prefeito Rodolfo, que concorre à prefeito, parece ser o mais emblemático, e problemático, por responder a vários processos por improbidade e, inclusive, sendo condenado a devolver dinheiro aos cofres da prefeitura por superfaturamento na Educação, a partir das denuncias do ex-vereador Demércio de Almeida ao Ministério Público, como citamos na publicação anterior. Claro, o ex-vereador Demércio certamente pode ser considerado desafeto do governo municipal, principalmente do prefeito Juvenal e do vice Rodolfo.

Já o vereador Giba, que pretende se reeleger, tem contra si a denuncia de ter mantido, na condição de ex-Presidente da entidade "ASSOCIAÇÃO SOS CRISTÃO", conforme consta no estatuto da entidade, contrato de prestação de serviços com o governo de Várzea Paulista e patrocinando causas em prol da entidade. Isso contraria a Lei Orgânica do Município, o que pode impugná-lo para a disputa eleitoral.

Links para acompanhar o andamento dos 3 processos de impugnação acima no TRE/SP: