MegaFeriado SP: Quarentena Total cada vez mais perto?

Então... na coletiva de imprensa de ontem, o governador de São Paulo deixou "endureceu" o discurso do isolamento social, principalmente na capital, e que pode decretar a Quarentena Total, ou Lockdown, se os índices de isolamento não ficar em torno de 60%. Disse também que "o megaferiado não foi criado para viajar". O problema parece estar no quanto a população está levando o governo estadual a sério, e se está ou não acreditando na quarentena decretada até dia 31/05. Pelo menos é o que parece, já que evidências de perda de confiança por parte da população transparece no não cumprimento da quarentena como exige o governo. 

A cidade de São Paulo é o maior exemplo disso. Especulações na opinião pública sugerem que a "maquiagem" na quarentena, feita com o megaferiado, não vai funcionar como o esperado. As agencias da Caixa estarão abertas, e muita gente deve sair de casa para tentar receber seus R$ 600,00 do Auxilio Emergencial. E não é só isso, o megaferiado na capital provocou ontem, 20/05, uma grande lambança nas estradas e acessos às cidades do litoral paulista com as restrições das prefeituras locais, certamente irritando ainda mais o já injuriado paulistano com a quarentena.

Bom, Bruno Covas, prefeito da cidade de São Paulo, foi alertado pela Procuradoria de Direitos Humanos sobre o risco iminente de "graves distúrbios" na capital paulista em função do agravamento da pandemia da Covid-19. No alerta, a Procuradoria recomenda medidas como a distribuição de cestas básicas ou cartões de alimentação a pessoas em situação de extrema vulnerabilidade econômica e social em meio à crise, bem como uso de hotéis populares para o acolhimento de moradores de rua. Também mencionam que: "O que se espera de um administrador público consciente de suas responsabilidades, num grave momento histórico como este, é lucidez para perceber a situação, compromisso com os mais pobres, ousadia e coragem para implementar as medidas necessárias com rapidez e eficiência".

E mais, com as medidas adotadas tem quem acredita que só uma intervenção federal pode salvar São Paulo, antes que a quarentena quebre a economia de vez. Quanto a uma provável intervenção federal, já tem um precedente no Ceará solicitada ao presidente Bolsonaro pelo deputado federal Roberto Pessoa, do mesmo partido de Doria e Covas, PSDB. O deputado alega que "Considerando que o governo do Estado perdeu a capacidade de preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas, conforme estabelecido na Constituição Federal, assim como não garante as mínimas condições de trabalho aos profissionais de saúde pública que estão trabalhando em condições desumanas". O pedido do deputado foi publicado e pode ser conferido aqui, lembrando que o Estado de Ceará tem menos casos confirmados (30.560) e menos óbitos (1900) que São Paulo (69.859 e 5.363 respectivamente), até 20/05 às 19h.