Queremos ser uma sociedade refém do crime?

Então... segundo uns e outros, o PT e aliados se movimentam para retomada das manifestações "Lula Livre", certamente como forma de voltar a pressionar o STF para que seja concedido liberdade para Lula, ou, em último caso, a "prisão domiciliar". Com isso, o ex-presidente poderia voltar a fazer contatos e manobras políticas para colocar o PT de volta aos holofotes e tentar reconquistar a representatividade política nas eleições 2020, particularmente depois do abalo das "perdas eleitorais" em 2018. Seriam 2 as motivações básicas: a) usar dos recursos da justiça eleitoral e, b) pressionar o STF a não manter a prisão em 2ª Instância. Quanto a isso, conforme publicado no O Antagonista, o procurador Julio Marcelo de Oliveira disse: "No próximo dia 10 de abril, o STF decidirá se, depois do devido processo legal em duas instâncias, traficantes, estupradores, corruptos e homicidas já podem ser presos ou se têm o direito à impunidade decorrente de recursos infinitos e da prescrição. Simples assim. Enquanto os países mais desenvolvidos prendem em primeira ou segunda instância, aqui fica-se ridiculamente dizendo que isso viola os direitos fundamentais. Não podemos ser uma sociedade refém do crime. Não queremos ter um país em que o crime compense e a impunidade reine e remunere." Pelo sim pelo não, se o STF decidir que a prisão só pode ocorrer na última Instância Judiciária, aí... bom, quem irá comemorar não será a sociedade, que voltará a ser refém... Oremos!