Não é "Fake"? E agora srs. ministros do STF?

Enquanto hoje, 18/04, se completa 3 anos da destituição de Dilma da presidência da Republica por 367 votos a favor, 137 contra, 7 abstenções e 2 ausências na Câmara dos Deputados do Congresso Nacional, o STF vive publicamente o que se pode chamar de vergonhoso inferno astral, protagonizado pelos presidente Dias Toffoli e ministro Alexandre de Moraes, que a mídia, opinião pública e juristas em geral entendem que deveriam ser os guardiões da Constituição, e não usar da censura ditatorial no caso Crusoé e O Antagonista. 

Não é só mais uma vergonha nacional, e não se limita às criticas domésticas e aos pedidos para derrubar o processo movido contra a imprensa à titulo de inibir "fakenews". Ultrapassou as fronteiras e os atores principais do imbróglio, incluindo o que comentam ser o silêncio dos demais ministros do STF, são alvos de criticas internacionais. O que pode ser mais danoso e prejudicial à nação, aos poderes e instituições, se quem deveria dar o exemplo maior provoca comoção e mal estar geral ao colocar ação da Justiça com a suposta aparência de "proteger" ministros de toga?  

Para o jurista Modesto Carvalhosa, os ministros infringiram o Código Penal e cometeram crime, constrangendo a cidadania (veja o vídeo neste link). E, claro, a busca e apreensão na casa do general reformado Paulo Chagas provocou reações internas nas Forças Armadas, e o incômodo com as coisas jurídicas no país foi objeto de uma critica direta do Clube Militar. Para aumentar a tensão, foi ressuscitada a CPI da Toga no Senado Federal, e o presidente da Casa se vendo "obrigado" a colocar o projeto em votação em sessão plenária. Na contramão, a deputada Gleise Hoffmann "defende" a CENSURA...

Entretanto, SE a matéria publicada na revista Crusoé não for "Fake", a pergunta é: E agora, srs. ministros do STF? O novo juiz da Lava Jato, Luiz Antonio Bonat, que substituiu Sérgio Moro, atesta a verdade da matéria, publicada e censurada na revista Crusoé, ao tirar o sigilo do email que menciona Dias Toffoli como 'amigo do amigo do meu pai'. Segundo pode ser apreendido neste nefasto momento arbitrário e autoritário no Supremo Tribunal Federal, é o como reagem as "autoridades" contra as publicações que lhes "atingem", mesmo sendo um simples agente público "preocupado" com sua intenção de se candidatar a cargo publico nas próximas eleições municipais. Como confiar? 

Hoje, 18/04, o presidente do STF disse em entrevista na BandNews que é a favor da liberdade... depois de ter solicitado ao ministro Alexandre de Moares que investigasse "FakeNews", com a consequente censura da Crusoé e O Antagonista, que certamente não estavam inventando nada no conteúdo publicado. 

O Antagonista publicou que "Dias Toffoli parece se guiar pela aposta de que será capaz de acuar o grupo Crusoé-Antagonista na tramitação dos processos que se acumulam contra seus jornalistas", diz Maria Cristina Fernandes, do Valor. Do jeito que ela descreve, trata-se de um achaque. Se isso for verdade, o presidente do STF vai perder a aposta. Os jornalistas do grupo Crusoé-Antagonista nunca se deixaram acuar por ninguém."

E agora srs. ministros?