O escândalo com a Ingex na Saúde e a cobrança judicial do IPTU em Várzea Paulista

Então... pode parecer uma "surpresa", mas não é... enquanto o governo municipal é pego no contrapé na questão da "suposta" corrupção na gestão da Saúde Pública, com o Instituto Soleil entrando com pedido de mandado de segurança para suspender o Contrato Emergencial do governo municipal com a Ingex para co-gestão da Saúde, que seria uma "metamorfose da OS Vitale" disfarçada como no caso da Rápido Luxo e Rápido Sumaré, o que seria uma "armação pré-combinada" segundo uns e outros, e com isso a Soleil assumir a co-gestão por ter vencido a Licitação - a TV Tem fez matéria sobre isso dizendo que a co-gestão foi parar a Justiça - o governo municipal está cobrando judicialmente cerca de 2 mil IPTUs em atraso. A cidade tem mais de 34 mil residências cadastradas e terrenos vazios aqui em Várzea Paulista, e municípes injuriados e ácidos especulam se o governo está precisando desesperadamente arrecadar os impostos atrasados para cobrir o rombo com as "supostas" corrupções, principalmente nas gestões da Educação, Saúde e "talvez" em outras, que corroem os cofres municipais, e ainda ter "sobra" para fazer alguma obra social para mostrar serviço e apoiar um candidato na eleição municipal, certamente para ter uma espécie de "escudo" contra possíveis processos judiciais após deixar o cargo de prefeito. Duas questões quanto a isso especula-se nos bastidores e opinião pública, se: 1) o preferido do prefeito na sucessão municipal é para ser o gestor da infraestrutura, mesmo com o escândalo do cemitério ainda em segredo de justiça, e que está inclusive sendo dispensado das reuniões por estar "dedicado" em instalar casinhas para abrigar passarinhos nos parques da cidade (é para isso a cobrança judicial do IPTU atrasado?), suposta e aparentemente deixando de dar atenção na manutenção das vias públicas, bens e prédios patrimoniais da cidade, e 2) emplacando seu sucessor, o prefeito praticamente teria um "defensor de seu governo, e até mesmo tentar ser imune a processos judiciais futuros. Em ambos os casos, segundo comentários nos bastidores e opinião pública, o prefeito precisa conseguir combinar com a população para tentar ter o "apoio" dos eleitores, o que é uma missão impossível como o povo arredio e decepcionado com o governo por conta dos vários escândalos, e agora com a cobrança judicial dos impostos municipais... Pelo sim pelo não, quem deve estar feliz com as cobranças são os procuradores municipais, que ganham 10% de tudo por apenas cumprir com a obrigação como funcionários públicos que são... Oremos? Sim, muito muito muito...