O governo de Várzea Paulista está isento do escândalo do Bolsa Família?

Então... na mesma página 8 do Diário Oficial de Várzea Paulista n° 389, do dia 27/01/2020, tem a Ref. 5.687/2017 sobre a "conduta irregular" das 3 funcionárias no escândalo do Bolsa Família, que trata do recurso tentado pela funcionária, indiciada no processo e que supostamente "comandava o "esquema", pedindo a nulidade da decisão da penalidade aplicada (que não se sabe qual foi). Claro, a decisão de culpa disciplinar da servidora, e consequente punição, foi mantida pela Comissão Processante da prefeitura com a comprovação das "irregularidades". Entretanto, segundo uns e outros, o governo municipal parece estar se eximindo da responsabilidade e  aparentemente descartando a suspeita de "vista grossa" no "esquema" de corrupção no Bolsa Família, ao colocar a culpa nas 3 servidoras pelo escândalo. Isso "prova" que a equipe executiva do governo municipal, principalmente a gestão municipal responsável pelo Desenvolvimento Social na época, e o prefeito "não sabiam de nada", da mesma forma que "ninguém" sabia da corrupção na co-gestão de Saúde com a anterior O.S. Vitale, mesmo com o MP e Gaeco investigando os gestores da Saúde da Comunicação que se declaram "inocentes"? E a câmara municipal, que dizem que "ninguém" sabe para o que serve, parece que também "não sabia de nada"? Com mais este vexame municipal sendo investigado pelo Ministério da Cidadania e Polícia Federal, tudo indica que o "deus no comando" está cobrando mais uma fatura pelo "apoio"... em atraso. Falta a "fatura" do Cemitério Municipal, que deve ser cobrada em breve. Pelo sim pelo não, e então sr. prefeito, como vai ser até o final deste mandato? Oremos? Sim, Oremos...