O jogo do poder político está acirrado em Várzea Paulista

"Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder." Dilma Rousseff.Então... com essa frase, a ex-presidente Dilma imortalizou o "todo mundo vai perder", que pode ser adequadamente aplicado ao que acontece aqui em Várzea Paulista. Ontem, 22/10, foi um dia "eletrizante" no jogo do poder político na cidade, onde, de um lado o governo municipal se "defendendo" dos vários sintomas de corrupção cada vez mais indefensáveis, com "apoio" dos vereadores na base do governo, e do outro a câmara municipal... e tudo indica que a corda vai arrebentar dos 2 lados. Isso, segundo muitos uns e outros, pôde ser visto nos muitos grupos whatsapp dos bastidores e opinião pública:

Primeiro: circulou freneticamente um vídeo mostrando imagens do presidente da câmara sendo questionado por lisura no cargo, onde estaria "protegendo" um assessor que foi admitido na câmara com diploma falso de curso superior.

Segundo: foi protocolado mais um pedido de cassação do prefeito, desta vez com base no processo judicial dos parques infantil superfaturados que bloqueou os bens do prefeito. Anteriormente já havia sido feito um pedido de mandado de segurança para cassação do prefeito, baseado no escândalo da Saúde, e que se encontra para despacho da Justiça desde junho/2019.

Terceiro: na 118a sessão pública da câmara, com a denúncia rejeitada pela bancada que apoia o prefeito, foi feita a instalação da C.E.I. da Saúde com 4 votos da "oposição".

Portanto, desde os escândalos do Bolsa Família, Cemitério, corrupção na Saúde com recebimento de propina pelos gestores da Saúde e da comunicação, Peru vs. Vereadores, situações que geraram expectativas na opinião pública de que a câmara iria moralizar o governo, mas que nada fizeram... e essa "turbulência" de hoje na política do governo, entre câmara e prefeitura, está parecendo uma queda de braço pelo poder mais que qualquer outra coisa, mesmo porque se a câmara quisesse poderia ter tomado atitude desde o início dos escândalos. Ora, o povo está fora disso e sequer é lembrado pelos políticos, exceto no período eleitoral, segundo comenta-se em toda a cidade. Pelo sim pelo não, pelo jeito parece que a frase acima da ex-presidente Dilma cabe para Várzea Paulista, segundo uns e outros, onde todos perdem, inclusive o povo... Oremos! Muito muito...