O quatríplo escândalo em Várzea Paulista, e a expectativa de desfecho em breve

Então... se, em 2014, na cidade de Joaquim Gomes, região da Zona da Mata de Alagoas, a 76 km de Maceió, 8 vereadores e o ex-secretário de Saúde foram presos por corrupção ao participarem do "mensalinho" de uma organização criminosa instalada na câmara municipal, composta por vereadores e integrantes do Executivo, para apoiar as ações do governo municipal e não efetivar a fiscalização devida, conforme reportagem do G1 na época, hoje uns e outros comparam o "evento" da cidade alagoana com os daqui de Várzea Paulista no escândalo no "suposto" quatríplo envolvimento da gestão da Saúde, Comunicação, OS Vitale e legislativo, que se mostra omisso, vs. MP e Gaeco. Lá em Joaquim Gomes/AL resultou em prisão, aqui, por enquanto, continua na fase de investigação, inclusive com provas já divulgadas nos noticiários da TV na região de Jundiaí, Sorocaba e Campinas. Comentam nos corredores e becos políticos sorrateiros da prefeitura, que a melhor comparação está na visível passividade dos vereadores que, em momento algum desde que o Gaeco esteve na secretaria de Saúde na primeira vez até o "evento" do Edson Peru, o que supostamente pode significar que os vereadores, talvez não todos, estejam impedindo que  o "esquema de corrupção" na gestão da Saúde seja investigado. Ora, a câmara municipal entrou em recesso parlamentar, sem que nada fosse feito para apurar os escândalos que mancham a cidade ante os munícipes e região, mas a expectativa na opinião pública e bastidores é que o Gaeco e MP retornem muito em breve com mandato de prisão para limpar a imagem vergonhosa que infesta a cidade. Pelo sim pelo não, o bolão de apostas está se baseando em quantos dias vai acontecer... se não acabar em pizza, claro, como querem todos os envolvidos. Oremos? Não carece...