Os bastidores da escolha do vice do PSDB em Várzea Paulista

25/09/2020

Está circulando, já há alguns dias, nos bastidores e círculos políticos de Várzea Paulista, dentro e fora do governo municipal, informações que deveriam ser "secretas", e que geralmente "vazam" de uma forma ou de outra, dando conta de como foi a "negociação" na escolha do vice do candidato a prefeito apoiado pelo governo municipal aqui de Várzea Paulista para as eleições 2020. Ora, "ninguém" ficou sabendo que, dentro do prazo legal definido pelo TSE, os gestores da Infraestrutura, Renato Germano, e o do Desenvolvimento Econômico, Marco Bueno, se descompatibilizaram dos seus cargos para disputar a eleição como vice-prefeito na chapa que conta com apoio do governo. 

Bom, antes da Convenção Partidária do PSDB, "ninguém" sabia que o candidato a vice preferido pelo atual prefeito era o gestor da infraestrutura, mas que havia resistência para a indicação do nome, e que o preferido para vice do candidato a prefeito, Rodolfo Braga, era o gestor do Desenvolvimento Econômico, que contava com a simpatia da maior parte do grupo do governo. Mas, com um "suposto" impasse na escolha do vice, entrou em discussão a escolha de um outro nome que agradasse e unisse todas as partes, o que significou que os nomes dos gestores da Infraestrutura e do Desenvolvimento Econômico estavam "descartados" em nome da "unidade". O "pretexto" foi porque ambos se desligaram do governo de forma "incorreta", segundo "avaliação" do jurídico da prefeitura, mesmo sendo demonstrado que ambos cumpriram todas as exigências eleitorais. 

Ora, entre os vários nomes "avaliados", surgiu os dos vereadores Fernando Paschoalino e Elizeu alves. Segundo os bastidores, em uma suposta manobra aparentemente nada republicana do ex-gestor de comunicação, David Alexandre, exonerado após denúncia de recebimento de propina da OS Vitale, o nome do vereador com maior chance de ser escolhido para vice seria o que supostamente estaria envolvido no escândalo do Bolsa Família, ou seja: Fernando Paschoalino, que foi o escolhido por "consenso".

Claro, o gestor da Infraestrutura, depois de algum tempo passou a apoiar o candidato do governo municipal e apagou as postagens nas redes sociais em que se dizia traído. Já o gestor do Desenvolvimento Econômico, se manifestou publicamente com discrição, mas certamente ficou muito chateado. E mais... uma questão que parece estar suscitando mal-estar e incomodando uns e outros, e que "ninguém" não está conseguindo compreender, é: porque o gestor de Comunicação João Paulo Souza, que assumiu o cargo do ex-gestor anterior e que também se afastou para disputar para vereador pelo PSDB, pode participar das eleições e os 2 gestores que disputavam a vice não podem?

De qualquer forma, segundo especulações e avaliações nos bastidores e opinião pública, a chapa do PSDB para disputar a sucessão do atual prefeito é formada por político supostamente envolvido em escândalos de corrupção, inclusive com condenação por improbidade, administrativa neste atual mandato. Para corroborar, o jornal local semanal A Verdade publicou matéria a respeito. Quanto a isso, "ninguém" parece saber que os adversários tem um "arsenal" de denuncias para mostrar contra a chapa do candidato, apoiado pelo governo municipal, na campanha eleitoral. 

Segundo uns e outros, tudo indica que a campanha eleitoral 2020 vai ter  "surpresas emocionantes" aqui em Várzea Paulista...