Prefeito de Várzea Paulista: "Não sabia de nada"

O Blog recebeu os comentários abaixo, via WhatsApp, de alguém que deve trabalhar na câmara, que estava na câmara ou de alguém que comentou com ele sobre o acontecido. Vejamos:

"Caro blogueiro, antes de mais nada quero cumprimentá-lo pelas matérias sobre a corrupção na gestão da saúde de Várzea Paulista, cometida pelo David Alexandre e dra. Mônica. No meu entender, entre os fatores que transformou a dra. Mônica no que ela é hoje, depois que assumiu a pasta, está a sua evidente arrogância e a associação com pessoas de índole duvidosa ou degenerada na prefeitura, e fora dela com a Vitale em particular, para obter vantagens financeiras pessoais nos contratos e serviços prestados na UPA, no hospital e nos postinhos de saúde. Isso desencadeou a intervenção do MP, principalmente após as denúncias ao ministério público pelo sr. José Maria, ex-conselheiro da Saúde, que também requereu mandado de segurança depois que seu pedido de cassação do prefeito foi arquivado pelo vereador Silso, e que ainda aguarda uma decisão da justiça.

A polícia fazendo buscas na quarta-feira, dia 04 deste mês, nos gabinetes e casas dos gestores, fez com que o prefeito fosse no dia seguinte até a Câmara Municipal, e é esse o motivo dos comentários aqui. Sem conseguir aparentar tranquilidade e firmeza, o prefeito Juvenal Rossi chegou na Câmara Municipal aparentando estar totalmente acuado pelos acontecimentos e, em uma tentativa de posar de inocente no acontece na área de saúde, ele teve o atrevimento de dizer que "não sabia de nada", tentando se fazer de vitima para tirar a responsabilidade das suas costas. Foi quando alguém disse "se não tomar providência, além de ser conivente faz parte da organização criminosa". Imediatamente o prefeito se retirou dizendo que "Deus vai castigar você que disse isso".

A impressão que Juvenal deixou é que ele quer continuar posando de santo, mas de santo não tem nada com tudo de inexplicável acontecendo em seu governo, ao seu redor e em seu gabinete, esquecendo que nada acontece sem sua autorização como, por exemplo, a renovação do contrato emergencial com a Vitale após inicio da Operação Ouro Verde em Campinas, que foi amplamente noticiado nos jornais, na internet, redes sociais e nas TVs. Ainda assim ele manteve a Vitale na UPA e os gestores em seus cargos, mas hoje sabe-se o pôrque. O prefeito não engana mais ninguém e, estranhamente, ainda não foi feita uma Licitação justa e transparente para trocar de empresa na cogestão, e a Vitale foi ficando na UPA como explicou o procurador do MP na coletiva de imprensa.

As pessoas na prefeitura continuam a comentar em voz muito baixa, em segredo e com receio de retaliação dos gestores e do próprio prefeito, que esse governo é o mais corrupto, maldoso e malandro que a prefeitura já teve desde a emancipação da cidade em 21 de março de 1965.

Estamos na expectativa de que a Câmara Municipal tome uma atitude de imediato para moralizar o governo diante de mais este vexame, pois se não tomar é porque então os vereadores também são cúmplices e também  são culpados nessa investigação da corrupção na saúde."