Que se passa entre a "nova" e a "velha política" no legislativo de Várzea Paulista?

Ora... com a suposta "nova" política tentando se impor sobre a "velha política" de sempre, "velha" política essa na qual o povo não faz parte dos interesses dos que foram eleitos para representar a população, a "guerra" de supostos "interesses" acaba acontecendo e se impondo na disputa pessoal e manutenção de privilégios, como também se defendendo para não serem punidos pela justiça quando são "descobertos", como estamos vendo atualmente nos noticiários da política nacional. 

No microcosmo Várzea Paulista também é a mesma coisa, principalmente se o presidente da câmara tenta moralizar o legislativo para que a Casa de Leis realmente represente a população, mas parece que, por enquanto, tem parecido uma "missão quase impossível". Segundo comentários nos bastidores e opinião pública, vontade não falta ao presidente da Casa de Leis, mas o aparente "paredão" formado por vereadores de "apoiam" o governo, que comentam são em 6, tem dificultado a consolidação da moralidade e transparência.

A questão principal são as denúncias e escândalos envolvendo diretamente o governo municipal, incluindo gestores delatados por recebimento de propina, que atravancam a fiscalização e apuração de irregularidades na administração municipal. Entretanto, o presidente tem demonstrado ter disposição para controle da casa conforme ficou evidente na tumultuada sessão de 21/05, onde impôs sensatez ao disciplinar os trabalhos com discernimento e equilíbrio, segundo observadores presentes. Com isso, demonstrou também preparo para lidar com pressões internas e externas, como se espera de um presidente do legislativo em meio à dificuldades.

Evidente que pode existir conchavos, tentativas de "acordos" e desentendimento entre os vereadores, o que democraticamente entende-se como "normal" mas, sem a postura e equilíbrio na condução das adversidades, nesse caso, a "velha política" estaria ditando as regras do corporativismo na casa. O atual presidente da câmara municipal, vereador Guilherme Zafani, tem tudo para fazer a diferença mesmo que não agrade o "paredão" que apoia no governo. Bom... uns e outros esperam que o presidente do legislativo conduza todos os vereadores a representar decididamente os interesses da população, e não os do executivo, os dos gestores municipais e muito menos os de cada vereador em particular...

A opinião pública pergunta: até quando o governo municipal e os vereadores Várzea Paulista vão continuar distantes dos interesses da população? Só vai se lembrar do povo nas eleições? Enquanto isso, como fica a Saúde Pública com a O.S. Vitale na co-gestão?