Silêncio dos inimigos da 2ª instância é traiçoeiro

Josias de Souza, jornalista e blogueiro político, avalia com irreverência a tentativa do Congresso adiar a votação do Projeto de Lei que restabelece a prisão em 2ª instância, e como isso está em curso. Ele escreveu:

"Arma-se em torno das propostas sobre a volta da prisão na segunda instância uma cena típica de faroeste. Nela, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre cavalgam à frente dos carroções da moralidade como espécies de John Wayne liderando os colonos do Legislativo a caminho da clareira do plenário. De repente, dois integrantes da caravana travam o seguinte diálogo:

- Estou preocupado com os índios da tribo dos enforcados.

- Índios? Mas não vejo índio nenhum!

- O que inquieta é justamente isso. Em matéria de prisão, nada pode ser mais preocupante do que o silêncio dos índios da tribo com a corda no pescoço.

Nesta terça-feira, 27/11, Davi Alcolumbre recebe na residência oficial da Presidência do Senado líderes partidários e o ministro Sergio Moro (Segurança Pública). Espera-se que Rodrigo Maia, o John Wayne da Câmara, também participe. O pretexto do encontro é a busca do consenso sobre prisão na segunda instância. No momento, Senado e Câmara dançam em ritmos diferentes. Um grupo de senadores gostaria de ressuscitar rapidamente a regra derrubada pelo Supremo Tribunal Federal. Com as bênçãos de Moro, esse grupo avalia que o melhor a fazer seria aprovar um projeto de lei. Rodrigo Maia avisou que a Câmara já optou pelo caminho mais longo e árduo da emenda constitucional.

A pretexto de costurar um hipotético entendimento, Alcolumbre provocou o cancelamento de audiência pública que ocorreria nesta terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Os senadores ouviriam Sergio Moro sobre as vantagens de restabelecer a regra sobre prisão por meio de projeto de lei, mais fácil de aprovar do que a emenda concebida na Câmara. Na outra ponta, Rodrigo Maia se apresenta como um negociador sui generis, do tipo que admite conversar sobre tudo, desde que prevaleça a opção dos deputados por uma alteração constitucional cuja tramitação invadirá o ano eleitoral de 2020. 

Os partidários da volta da prisão ruminam a suspeita de que Alcolumbre e Maia ajeitam o palco para a emboscada dos índios da tribo dos enforcados."

Abordagem de Josias de Souza

Fonte: https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/11/26/silencio-dos-inimigos-da-2a-instancia-e-traicoeiro/


Obs.: A matéria acima é de inteira responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Blog Várzea Paulista