Tem algo de podre no Reino de Várzea Paulista?

Muitas versões da peça Hamlet, de William Shakespeare, estão disponíveis para serem baixadas na internet. Vale a pena ler, apesar de tão antigo, ainda é um texto bastante atual. O personagem Marcelo no ato 1, cena 4 é: "Há algo de podre no reino da Dinamarca", e, pode ser traduzida com "algum mal sério está escondido na Dinamarca". A frase serve como um alerta para que o personagem Hamlet perceba a situação de perigo em que se encontra. Após esta cena, ele passa a comportar-se como um louco incapaz de compreender o que se passa ao seu redor, no intuito de meramente não ser eliminado e poder sobreviver, e se preparar para a reação contra o principal "adversário". Trazendo a cena para o cenário Várzea Paulista, representa a situação em que nos damos conta de estarmos sendo enganados e que ainda há tempo de sairmos ilesos da situação, desde que saibamos agir com calma e inteligência.

Alguns dos senhores vereadores deram na última segunda-feira, 20/05, sinais de que finalmente possam estar agindo com inteligência e calma, pois a Sessão Extraordinária convocada para discussão e votação de projeto de lei do Prefeito Municipal, não atingiu ao quórum mínimo necessário, comparecendo somente 5 vereadores, sendo que 3 ditos como oposição e 2 ditos como situação. Ao acessar o site da Câmara Municipal deparamos com vários projetos do prefeito que ainda não foram votados. O que está acontecendo? Tem algo que não está cheirando bem!

Dentre os projetos, destacamos:

- Projeto de Lei nº 20/2019 de 10/05/19, regime de urgência, que prevê convênio com o DETRAN;

- Projeto de Lei nº 19/2019 de 30/04/19, que trata de diretrizes orçamentárias para 2020;

- Projeto de Lei nº 14/2019 de 05/04/19, que prevê a criação de câmara de conciliação de precatórios;

- Projeto de Lei Complementar nº 1/2019 de 05/04/19, que altera artigos da Lei Complementar nº 169, de 30/10/2006, criando facilidades para implantações de loteamentos industriais e empresariais;

- Projeto de Lei nº 10/2019 de 29/03/19, solicita autorização para obter crédito junto a Caixa Econômica Federal;

- Projeto de Lei nº 52/2019 de 11/12/2018, uma simples denominação de um Centro Esportivo;

- Projeto de Lei Complementar nº 11/2018, que prevê alterações na lei de cargos de confiança.

Constatamos projetos que estão desde o ano passado para serem votados. Podemos refletir e pensar que esteja havendo a ruptura da sincronização do Poder Executivo com o Poder Legislativo, que tende se agravar com a aproximação do período eleitoral. Podemos ter esperança de que os vereadores ainda possam ter a decência em cumprir com seus papéis constitucionais e passarem a fiscalizar as ações do Poder Executivo, buscando respostas para os cidadãos para alguns casos de grande repercussão, tais como:

- "Indícios de desvios de recursos do Cemitério Municipal". Está criado o clima para que a Câmara Municipal de Várzea Paulista possa instaurar um processo de apuração dos acontecimentos, podendo ser aberta uma CEI - Comissão Especial de Inquérito;

- "Contrato e aditamentos sucessivos com a VITALE". As atitudes do Poder Executivo Municipal em fazer com que o contrato seja sucessivamente prorrogado, apesar de haver denúncia de possíveis atos de corrupção contra gestores municipais de Comunicação e Saúde, através de delação de diretor da VITALE no processo da Operação Ouro Verde, também podem receber à atenção merecida por parte do Poder Legislativo Municipal, também através da instauração de uma CEI;

- "Licitação para contratação para co-gestão da UPA e Hospital". É incompreensível, chegando a ser inacreditável, que não se consiga realizar um processo licitatório para a contratação de serviços, sem que haja uma disputa. Estranhamente, pela segunda vez, somente uma entidade apresenta a documentação aparentemente em ordem. Sendo que esta, segundo informações, pode não possuir um contrato sequer com experiência em gestão de um ano. Alguns vereadores demonstram preocupação, pois, a manutenção de serviços precários na condução da UPA, Unidade de Pronto Atendimento e do Hospital, certamente gerará o aumento de reprovação ainda maior do Governo Municipal, e, consequentemente, atingindo também aos vereadores, o que pode ser péssimo face às próximas eleições municipais onde vários devem tentar a reeleição.

Como na obra de Willian Shakespare, a frase "A algo de podre no Reino de Várzea Paulista", é um alerta onde os eleitores podem passar a se comportar como loucos incapazes de compreenderem o que está se passando ao redor, uma mera atitude de sobrevivência e reação contra nossos "representantes".

A vida imitando a arte!!!!