A nova onda é o Bolsolulismo

17/09/2020

Nestas próximas eleições, dia 15/11, para prefeito e vereadores, é possível identificar candidatos que não se envergonham de usar as bandeiras de Bolsonaro e Lula ao mesmo tempo. A autora Edna Lima escreveu a respeito no site Os Divergentes:

"Nas campanhas pelo interior do Brasil a onda do "bolsolulismo" vem se espalhando feito rastilho de pólvora. Candidatos a prefeito ou a vereador se apresentam como representantes da junção dos dois principais líderes políticos da atualidade no Brasil. "Santinhos" - em papel ou virtual - circulam entre eleitores desavisados com fotos do pretenso candidato ao lado de Lula e Bolsonaro ao mesmo tempo. Alguns são memes, outros não. Estranho? Nem tanto. Afinal, embora pareçam ter propostas antagônicas, os dois líderes estão cada vez mais próximos, seja no ódio a Sérgio Moro ou à Rede Globo, seja nas ideias populistas ou na devoção que despertam entre os seus seguidores.

Nesta terça-feira, 15/09, a fala do ex-presidente Lula afirmando que o ex-ministro Sérgio Moro mentiu na acusação que fez contra o presidente Jair Bolsonaro de interferir na Polícia Federal, mostra que esse "sonho" não parece impossível. Nas redes sociais o "bolsolulismo" também está virando moda. Muitos internautas - especialmente no Twitter - têm se referido ao termo com frequência. A diferença entre eles e os candidatos que usam a imagem dos dois líderes políticos para se eleger é o olhar sobre essa fusão. Enquanto políticos veem Lula e Bolsonaro como uma força imbatível, capaz de vencer qualquer disputa eleitoral, os internautas enxergam o "bolsolulismo" como o que há de pior na política brasileira: casuísmo, populismo, o combate ao combate à corrupção e a disseminação do ódio pelos que pensam diferente.

Para o bem e para o mal o Centrão representa o elo entre as duas forças políticas. Nomes como o do senador Ciro Nogueira, do ex-prefeito Gilberto Kassab, do deputado Arthur Lira, entre outros, apoiaram até o último minuto os governos Lula e Dilma e, agora, garantem a sustentação de Bolsonaro no poder. Enrolados nas investigações da Lava Jato, os representantes do Centão também ajudam o "bolsopetismo" a combater os avanços nas investigações contra o desvio de recursos público - do petrolão à rachadinha - um interesse comum de ambas as partes. Como em política tudo é possível, quem sabe se em 2022 Lula e Bolsonaro não estejam juntos no mesmo palanque..."

Abordagem de Edna Lima

Fonte: https://osdivergentes.com.br/outras-palavras/nas-campanhas-e-nas-redes-a-nova-onda-e-o-bolsolulismo/


Obs.: A matéria acima é de inteira responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Blog Várzea Paulista