Tudo continua “normal”, com as turbulências de sempre

Pois é... como previsto, Rodrigo Janot, ex-PGR, foi e está sendo a sensação do momento nos noticiários, com direito a busca e apreensão na casa e escritório determinado pelo STF. Claro que isso iria acontecer, afinal o STF tem se blindado, entrincheirado e contra-atacado na defesa da instituição, segundo analistas e formadores de opinião nos meios de comunicação. Bom, o comentário de Janot, sobre sua intenção de matar Gilmar Mendes em 2017, pode estar sugerindo que ele usou o comentário como estratégia para divulgar e atiçar o interesse de leitores para seu livro, no qual aborda sobre o período em que esteve à frente da PGR, Procuradoria Geral da Republica, e Ministério Público. O livro promete ser interessante, e deve ter mais coisas a conferir. Quanto a isso, vale ressaltar que ele concedeu a primeira entrevista a um dos maiores jornais do país para emplacar o comentário: O Estado de S.Paulo. Após a entrevista, a Veja e outros meios de comunicação correu para também entrevistas e participação na "sensação" do momento. Comentários na opinião pública sugerem que Gilmar Mendes não saiu ileso deste episódio, uma vez que Janot disse que se tratava de uma "vendeta" contra o comentário do ministro sobre sua filha, tida como mentira, para constrangê-lo após o pedido de suspeição de Gilmar. Outro "acontecimento surpresa" nesta última sexta-feira, 27/09, foi a Lava Jato pedir, "inesperadamente", que Lula deixe a carceragem e passe ao regime semiaberto por ter cumprido 1/6 da pena, antes que o STF o faça, o que vai ser avaliado entre a defesa e o ex-presidente na próxima segunda-feira, 30/09. Enquanto isso aqui em Várzea Paulista, circula comentários nos grupos whatsapp dos bastidores e opinião pública dando conta que corre livre, leve e solto mais um escândalo envolvendo terras no Jd Bahia, que inclui até denúncia de falsificação de documentos... Pelo sim pelo não, tudo continua "normal", com as turbulências de sempre... Oremos!