Voce manipula pessoas?

19/02/2020

A sociedade nos faz pensar que precisamos ser sempre vencedores. Música, literatura, propagandas e filmes exaltam os momentos de sucesso e minimizam os reveses da vida. Parece que não existe outra opção a não ser a felicidade. Se por um lado esse ímpeto pode trazer motivação para conquistar objetivos, por outro lado, gera nas pessoas a sensação de que é necessário obter bons resultados em tudo que se faz. 

A partir do momento que se cria um parâmetro do que é ser feliz e bem-sucedido, inevitavelmente surgem os sentimentos de comparação. E esse tipo de sentimento pode trazer vontade de não apenas ser melhor, mas também destacar-se mais do que os outros. Criando assim uma ânsia para sempre colher vantagens individuais e se esquecendo do coletivo. Ao fazer isto e muitas vezes sem intenção consciente, pode-se desenvolver um comportamento manipulador.

Quais são as características de um comportamento manipulador?

Apresentar um comportamento manipulador é algo que pode acontecer com qualquer pessoa e, salvo raras exceções, dificilmente será um comportamento voluntário. De acordo com a psicóloga Adriana de Araújo, nos tornamos manipuladores porque em certos momentos de nossas vidas interpretamos situações e vivências como oportunidades e/ou ameaças à nossa existência: "Queremos estar sempre um passo à frente de tudo, e assumir o controle total para que nos sintamos mais seguros. Mas isso nos esgota psicologicamente, e nos coloca em um estado defensivo constante", analisa. Segundo a psicóloga, algumas características fazem com que as pessoas desenvolvam uma personalidade manipuladora: "Às vezes podemos agir de maneira egoísta e não perceber que a pessoa ao lado é alguém com sentimentos e desejos, assim como nós somos. Pensar que as pessoas estão presentes em nossas vidas apenas para oferecer algo é um sinal de que algo pode estar errado"

Quando se manifesta um comportamento manipulador, o outro passa a ser visto como como peça de um quebra-cabeça. Esse tipo de estratégia de manipulação pode ser direta ou indireta.


Manipulação direta

A manipulação direta se dá pela imposição de ideias a determinado indivíduo. Nessa situação, criticas, tom enérgico e até intimidação podem ser usadas para conseguir o que se quer, de forma que, em alguns casos, pessoas são colocadas em situações constrangedoras apenas para fragilizá-las.

Exemplos da manipulação direta no cotidiano:

  • "Se você não fizer o que te digo, vai ficar dificil", ou então "De outro jeito não vou poder te ajudar" são frases que podem ser usadas para manipular alguém conforme seus interesses.
  • "O que faço é só para te ajudar, quem mais poderia fazer isso?", é um exemplo de frase que menospreza as qualidades do próximo e o inferioriza, podendo ser usada para fazer a pessoa acreditar que precisa de ajuda, que não é capaz de fazer sozinha
  • "Voce pode se complicar se eu parar de te ajudar" é uma fala que, dependendo da situação, pode ser uma forma de fazermos com que as pessoas ignorem seus sentimentos e sintam que estão reagindo exageradamente frente a um problema concreto.

Manipulação indireta

Mais frequente que a anterior, na manipulação indireta o indivíduo que é o alvo do comportamento manipulativo tem seu poder de fala reduzida, sem espaço para que suas ideias, opiniões e desejos sejam expressados, e é comum que ocorra a chantagem emocional, isto é, um indivíduo que apele aos sentimentos para conseguir o que quer, e caso não consiga, irá fazer com que o outro sinta-se culpado ou indefeso. Tenta-se criar um mal-estar psicológico/emocional, um estado mental onde surgem sentimentos de dúvida, além da insegurança para tomar atitudes.

Exemplos da manipulação indireta no cotidiano:

  • "Se fizer do meu jeito, será melhor para nós" é uma frase que evidencia esse tipo de manipulação, que coloca as necessidades do outro em segundo plano de maneira sutil. Pode parecer que você está pensando no bem estar do próximo, quando na verdade, você pode estar excluindo suas opiniões e sentimentos
  • "Olha o que você me fez fazer" também pode ser um dizer manipulativo, já que se transfere a responsabilidade de suas ações para alguém que não tem o poder de te fazer tomar decisões
  • Dizer "fiz isso apenas para ajudar" quando na verdade foi feito algo intencionalmente para manipular alguém, é uma forma de atingirmos nossos objetivos utilizando os meios que julgarmos necessários sem que tenhamos que enfrentar as consequências disso.

Manipulação sutil

Há também quem possa manipular os outros de maneira delicada ou até mesmo doce. Podem ser usadas críticas em meio à elogios, de forma que se sinta confortável em determinado assunto, mas não se terá satisfação total porque há nas entrelinhas um defeito apontado. Este defeito indicado pode não ser válido, sendo colocado em meio a uma fala agradável para causar o desconforto a quem se direciona os argumentos.

Consequências do comportamento manipulador

Ainda que existam diferentes formas de manifestar uma conduta manipulativa, por trás desse comportamento geralmente existe um sentimento que todos já experienciamos: a insegurança. Sim, indivíduos que apresentam esse tipo de comportamento são incapazes de lidar com situações em que seus desejos não foram concretizados ou contrariados, e portanto, usam a ferramenta da manipulação.

O comportamento manipulador é tóxico tanto para quem realiza, pois configura suas relações com base no que os outros podem lhe oferecer, quanto para quem convive com esse tipo de dinâmica. Isso porque o comportamento manipulador faz com que a pessoa tenha uma conduta imprevisível, dificultando o relacionamento. Além de não ser uma situação confortável, muitas vezes, a pessoa que está sendo manipulada não quer mais passar por isso, o que pode culminar em um afastamento ou até um conflito maior.

Manipulador: Eu?

Quando uma pessoa descobre que pode estar apresentando um comportamento manipulador, é comum ela se sentir assustada, insegura ou em negação. Esses sentimentos são comuns. Em alguns casos, a sensação de culpa é quase instantânea. Mas acredite, de acordo com Adriana, com auxílio profissional, autoconhecimento e investigando as causas que motivam o comportamento manipulativo, é possível obter bons resultados.

É importante saber que todos somos um pouco manipuladores nas pequenas ações do cotidiano, porque no fundo é inevitável priorizar a nós mesmos, e isso é normal e até importante, porque não podemos nos colocar em segundo lugar o tempo inteiro. O problema é quando isto se torna um instinto de sobrevivência, onde só nós podemos colher os benefícios das situações.

Se voce se identificar com as características acima, procure ajuda e tente ser honesto consigo. Tenha em mente que ninguém se comporta de determinadas maneiras sem ter um viés por trás. Procure refletir sobre o porquê disso estar acontecendo, sem se esquecer de que sempre há alguém que é afetado pela manipulação. Perceber a situação é um primeiro grande passo para a transformação.

É importante se fiscalizar

Ao perceber que pode estar se comportando de forma manipuladora, não sinta-se envergonhado, e sim motivado a melhorar. Grande parte de nossas culpas e aflições vêm da esfera social, e é importante trabalhar nossa autoestima, para que tenhamos confiança de ser quem somos, sem nos preocupar com a validação coletiva. Quando deixamos de desejar estarmos sempre certos, é sinal de que somos pessoas seguras, dispostas a aprender com os erros, e que não precisaremos, de agora em diante, usar métodos que reprimam as pessoas para garantir o nosso bem estar ou que atenda nossos interesses.

Adaptação da abordagem de Kalel Adolfo

Fonte: https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/32935-sera-que-voce-se-comporta-como-uma-pessoa-manipuladora


Obs.: A matéria acima é de inteira responsabilidade do autor e não representa, necessariamente, a opinião do Blog Várzea Paulista