1090 - PT DEFINHA COM DEFESA PÍFIA DE LULA

08/02/2019 13:15

   Por Andrei Meireles

   Fonte: https://osdivergentes.com.br/andrei-meireles/pt-definha-com-defesa-pifia-de-lula/

  A condenação de Lula no processo do sítio de Atibaia era aposta de dez. Os indícios e provas de que Odebrecht e OAS bancaram as reformas no imóvel como um mimo ao ex-presidente da República são contundentes. Por isso, a sentença da juíza federal Gabriela Hardt, substituta de Sérgio Moro, que impôs a Lula pena de prisão de 12 anos e 11 meses, além de não surpreender, também não causou comoção. Independente do tom, críticas e aplausos soaram protocolares. Até mesmo entre os petistas. O partido divulgou uma nota, alguns deram entrevistas, outros se manifestaram apenas nas redes sociais. Bem menos do que os que reagiram à primeira condenação pelo juiz Sérgio Moro.

  Além da narrativa de sempre de que Lula é perseguido pela Justiça, punido sem provas em processos manipulados, no documento do PT e nos tuítes de seus dirigentes a novidade é que a intenção da juíza Gabriela é prejudicar Lula em sua marcha batida para receber o Prêmio Nobel da Paz. O título da nota oficial do PT, principal destaque do site do partido, “Lava Jato ataca Lula temendo o Nobel da Paz” fala por si só. E-mails, notas fiscais, confissões descritos nas mais de 300 páginas da sentença da juíza Gabriela são simplesmente ignorados. “A perseguição a Lula não para. Uma segunda condenação a jato foi proferida exatamente quando cresce a possibilidade de Lula ser Nobel da Paz”, tuitou a deputada Gleisi Hoffmann, presidente do PT. Outros dirigentes do partido fizeram postagens semelhantes.

  Nos sites de outros partidos de esquerda a nova condenação de Lula foi simplesmente ignorada. Estão quase todos focados na disputa entre eles mesmos para ocupar os espaços perdidos pelo PT. Isso é evidente no Congresso Nacional. Mesmo tendo sido o partido que elegeu a maior bancada na Câmara, o PT foi excluído no rateio de poder interno. Nos sites do PC e do P-Sol o destaque é a briga entre os dois partidos que começou no processo de eleição da Mesa da Câmara. O P-Sol contestou o reconhecimento pela direção da Câmara da fusão entre o PC do B e o Partido da Pátria Livre (PPL) para escaparem da cláusula de barreira antes mesmo de ela ser aprovada pela Justiça Eleitoral. Os comunistas não gostaram e atacaram os antigos aliados. 

  Na tréplica, o P-Sol afirma que agiu em nome dos petistas e de outros aliados e exibe a dor de cotovelo de sua turma. Eles não se conformam — pelo fato do bloco montado na Câmara pelo PT com PSB, Rede e o próprio P-Sol ser menor que o organizado pelo PDT de Ciro Gomes, PC do B e outros partidos —  de terem perdido para os rivais a liderança oficial da oposição. No Senado a situação é ainda pior. Além de ter encolhido nas urnas, o PT também perdeu o comando da esquerda e da oposição. Apostou suas poucas fichas em Renan Calheiros e sofreu outra derrota. Mesmo com todos esses percalços, a burocracia que manda no partido insiste na tese de que todos os esforços devem ser para tirar Lula da cadeia. A própria militância anda arredia. O problema é que ele ainda responde a outros cinco processos por corrupção. O risco é de que eventuais novas condenações sejam recebidas cada vez com maior indiferença.

 

Voltar

Pesquisar no site

BVP © 2012 Todos os direitos reservados.

VárzeaPaulista/SP