365 - COMO CONQUISTAR O VOTO DO ELEITOR ?

07/08/2014 08:23

     Adaptação de artigo de Reinaldo Polito

   Você, como candidato a deputado da cidade, independentemente de sua experiência política, deve estar se perguntando neste momento: “Como deverei agir para conquistar os votos que podem me eleger ?”

   Antes de abordarmos quais são os requisitos que deverão motivar o eleitor a escolher o seu nome, pode-se garantir, com base na experiência de candidatos políticos, que qualquer que seja o caminho adotado, ele necessariamente passará pela forma de falar, pela oratória.
   Mas o candidato novo poderia dizer: “Conheci um candidato que não sabia abrir a boca nem para dizer bom dia e se elegeu.”
   Tem mesmo essas exceções, inclusive tem aqui em Várzea Paulista quem se elegeu dizendo pouca coisa, mas é preciso analisar sempre em que circunstâncias o fato ocorreu. Às vezes o adversário é tão ruim que sozinho com as besteiras que fala, ele consegue perder a eleição. O eleitor toma sua decisão quando identifica o candidato que atenderá suas aspirações ou da coletividade a qual ele pertence.
   Como nem sempre o eleitor tem consciência de quais são os problemas que deveriam ser solucionados ou das metas que poderiam ser estabelecidas, portanto caberá ao candidato alertar o eleitor para essas questões.   

   Estamos agora aos seguintes pontos da abordagem:
   • O eleitor escolhe o candidato que atenderá suas aspirações ou do seu grupo. 
  • Ou ele tem consciência dos problemas que deverão ser solucionados e das metas que poderão ser estabelecidas, ou, se não tiver, caberá ao candidato alertar sobre essas questões.
   Vamos continuar com o raciocínio.
   Para que o eleitor escolher como candidato, é obvio, ele precisa saber que você é candidato. Por isso, a importância da divulgação do nome.
   Sabendo que você é candidato, ou o eleitor já tem informações, pela sua reputação, que você tem autoridade e experiência para se candidatar, ou caberá a você dizer isso a ele. Antes que passe pela sua cabeça ideias de que essa sua autoridade e experiência poderia simplesmente ser divulgada em folhetos ou livretos, esqueça — eleitor não lê — pelo menos não na quantidade suficiente para o eleger.
   Bem, você, candidato, poderia dizer: “Eu posso ter meios que transmitam essa mensagem para mim a partir dos diversos recursos disponíveis durante a campanha, como o rádio, a televisão, carros de som, panfletagem e redes sociais.” Pode sim, e ajuda, mas não resolve. Temos exemplos aqui na cidade de candidato a vereador que gastou MUITO dinheiro em 2012 e não se elegeu. Isso demonstra que não é só com dinheiro que se vence eleição. Nada será mais eficiente do que você mesmo transmitindo sua mensagem, na base do boca-a-boca, visitas diretas às residências, comércio, feiras, etc..

   Então, se você for bom, e deverá ser bom se quiser vencer, procure contar também com um veículo de comunicação que seja simples, independente, conhecido e com credibilidade. Jornais e rádios não tem mais os efeitos que tinham até uns 10 anos atrás, porque muito poucos eleitores prestam atenção e nem dão ao trabalho de ler jornal e folhetos com histórico do candidato. Pense nisso. O que eleitor gosta hoje é da opinião livre do veículo de comunicação independente.
   A esta altura já deve ter ficado claro que, para divulgar a sua experiência e autoridade, para demonstrar que conhece e que participa das aspirações do eleitor e da coletividade a que ele pertence, e indicar qual é a sua plataforma para solucionar os problemas e atingir os objetivos almejados pelos eleitores, dependerá muito da SUA boa comunicação

 

 

Voltar

Pesquisar no site

BVP © 2012 Todos os direitos reservados.

VárzeaPaulista/SP