446 - V.PTA.: FUNCIONÁRIO PÚBLICO ANTI-SOCIAL

19/03/2015 07:41

   Ah! o funcionário público… nem todos são anti-sociais, mal-educados e/ou desaforados, mas é inegável que existem os que não se dão ao respeito e, portanto, não merecem reconhecimento social por demonstrar mau humor e desrespeito no trato com as pessoas. Claro, não se aplica a maioria do funcionalismo, tem os quem procuram ser gentis com todos, mas há de se convir que funcionário público sempre foi alvo de críticas por parte da sociedade, sendo caracterizado como o trabalhador que não trabalha ou é mal-educado.

  Em contrapartida a essa imagem negativa, sabe-se que todo governo compõe-se de servidores públicos e são estes os agentes responsáveis pela consolidação das políticas públicas, e que fazem a imagem boa ou má do governo diante da opinião pública.

  Uma pesquisa a partir dos muitos depoimentos e queixas sobre funcionários públicos, verificou-se que a imagem negativa do governo é constituída pela má educação de alguns funcionários públicos. Assim, quando um funcionário público não se dá ao respeito no trato com pessoas, talvez por alguma frustração pessoal, por se achar intocável, por ser estável no cargo, ser "protegida" ou por uma falha de caráter ou educação social/familiar, não justifica ser mal-educado e não dá o direito de tratar mal as pessoas, pois ganha salário para estar onde está e fazer o que deve fazer.

   E porque estamos abordando isso ? Porque eles existem e isso é crônico em alguns governos. Aqui em Várzea Paulista, não é diferente, mas o governo municipal tem combatido e dado atenção à essa questão, procurando reorientar adequadamente os casos mais complicados.    

  Ora, mas tem na câmara municipal aqui de Várzea Paulista um caso aparentemente complicado e, tanto a diretora  como geral da câmara como o presidente da casa, já foram informados do comportamento de uma funcionária que normalmente aparenta ser mau humorada. Ontem, ela se achou no direito de mandar se retirar do refeitório da câmara quem ela entendeu que não deveria estar lá... 

   Mas, ela pode fazer isso ? É assim que é na câmara ? Não é para ser, a diretora geral tem feito um ótimo trabalho para tornar o legislativo uma casa respeitavel, elogiável e democrática.

   Aparentemente essa funcionária deve ser a exceção no trato das pessoas da forma como ela o fez, mesmo estando subordinada à diretora e presidente da câmara. Entretanto, talvez, pode não estar informada que quem ela mandou se retirar tinha permissão da diretora geral para estar no refeitório, mas mesmo assim não explica e não justifica o comportamento inadequado...

   O que aparentemente faltou é o comportamento sociável da parte da funcionária (ela não é a responsável pelo refeitório). E esse tipo de atitude pode desestabilizar a imagem da diretora, do presidente e da casa de leis, comprometendo todos os esforços e o bom trabalho que esta nova administração do legislativo tem procurado fazer, e tem feito. A forma com que a equipe da casa de leis se relaciona com as pessoas, desde a recepção até o mais humilde dos funcionários, mostra como a administração se relaciona com as pessoas, eleitores, mesmo não sendo do agrado da equipe por razões pessoais e particulares. Todos deve ser tratados com respeito, dignidade e cordialidade por todos. 

   Um bom exemplo de funcionário público antigo que se dá ao respeito, respeita as pessoas e é atenciosa e gentil com todos é a D. Cida, da administração da câmara municipal.

 

 

Voltar

Pesquisar no site

BVP © 2012 Todos os direitos reservados.

VárzeaPaulista/SP